Afropatys e afromauricinhos querem criar referências de luxo para negros

Tendência mistura elementos da cultura negra, peças populares e roupas de grife; uso do termo gera debate SÃO PAULO Desde a infância, Mari Lobo, 26, já gostava de misturar cores e estampas e fazer combinações com o que tinha no armário. Mas, ao crescer, teve dificuldade em encontrar outras mulheres pretas e gordas bem vestidas. “Quando pesquisava algum look aparecia uma enxurrada de mulheres brancas e magras. Me inspirei muito durante muito tempo em pessoas que não me representam”, diz. Hoje ela é modelo e criadora de conteúdo, como forma…

LEIA MAIS