Estudo investiga provas de vida após a morte em médiuns e reencarnação

Experiências de quase morte também fazem parte de pesquisa que virou livro recém-lançado SÃO PAULO Já aos dois anos, Otto tinha comportamentos “que não eram da sua idade”, conta sua mãe, a acupunturista Erika Pissarra, 34. “Como andar com as mãos para trás e dizer que gostaria muito de tomar cervejinha”, exemplifica. A sogra comentava que esses hábitos pareciam com os de seu pai, o bisavô do menino, morto muitos anos atrás. Poderia ser apenas uma idiossincrasia, mas outros eventos pasmaram a família. Aos três anos, observando o céu, Otto…

LEIA MAIS