Serra do Inácio ganha 1ª grande cisterna

Depois de um ano da visita da vice-governadora Regina Sousa à Serra do Inácio, localizada entre os Estados do Piauí e Pernambuco, o governo do Estado está realizando a primeira grande ação no lugar. Serão construídas 150 cisternas calçadão e a primeira etapa, já iniciada, vai beneficiar 11 famílias de Betânia e 11 de Curral Novo. As obras serão executadas pela Secretaria da Agricultura Familiar, através do projeto Viva o Semiárido em parceria com a Secretaria do Planejamento.

Para Regina Sousa, a Serra do Inácio foi a sua mais surpreendente descoberta, pois não imaginava em pleno século XXI existisse famílias vivendo em situação de extrema pobreza. Ela visitou as comunidades da Serra do Inácio em abril de 2019. E em maio voltou para participar de um Dia de Cidadania em que foram levados vários serviços para os moradores, incluindo emissão de certidão de nascimento que no dia foram emitidos 87 e carteira de identidade, expedidas quase 300 em um único dia.

A vice-governadora informou que a outra grande ação do governo será a construção de moradias dignas. “ Um projeto ousado que esperamos concretizá-lo.”

Na Serra do Inácio vivem mais de 450 famílias e muitas moram em casebres sem água e energia, apesar de muitas morarem embaixo das 98 torres eólicas instaladas nas localidades que estão dentro  da Serra. “A situação serviu como um desafio para tentar mudar a vida das pessoas”, explicou Regina Sousa.

A vice – governadora conseguiu junto ao Fundo de Combate a Pobreza aprovar recursos para a construção de cisternas. “ Será nossa primeira grande ação na Serra do Inácio a construção das cisternas.”  Segundo Regina Sousa, as pessoas vivem em uma situação humilhante para ter água. “ As famílias são abastecidas por carro-pipa a cada 15 dias e quando está terminando a água, elas deixam de tomar banho para não ficar sem a água.”

A água das cisternas será para consumo, plantio e criação de animais.  Vice-governadora informou que os moradores terão a ajuda de um técnico agrícola para ensiná-los a cultivar a terra. “As famílias vão poder fazer hortas e plantar árvores frutíferas. Produzir para sobreviver. Esperamos que em 2021 a gente esteja mostrando outra cara da Serra do Inácio,” concluiu Regina Sousa acrescentando que deseja que o período chuvoso seja bom para encher as cisternas e alegrar a vida das famílias beneficiadas com a obra.

O superintendente do Desenvolvimento Rural da Secretaria da Agricultura Familiar e coordenadora do Projeto Viva o Semiárido, Francisco das Chagas Ribeiro, informou que as  cisternas que estão sendo construídas pelo Centro de Estudos Ligados a Técnicas Alternativas -Celta terão filtros e capacidade para armazenar de 52 mil litros de água.

Fonte: vicegovernadoria.pi.gov.br

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário