Santa Maria da Codipi III será a próxima comunidade a receber curso Defensoras Populares

O bairro Santa Maria da Codipi III, na Norte de Teresina, será o próximo contemplado com o curso “Defensoras Populares”. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (30), durante reunião na Casa de Núcleos da Defensoria Pública, com a presença de lideranças comunitárias e das Defensoras Públicas Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior, Subdefensora Pública Geral e responsável pela implantação do Projeto Defensoras Populares no Piauí; Lia Medeiros do Carmo Ivo e Verônica Acioly de Vasconcelos, do Núcleo de Defesa da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, que exerce papel fundamental na capacitação.

Também estiveram presentes a presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos, Marinalva Santana e Patrícia Amália Castro Araújo, membro do Grupo Nós Tudinha e Defensora Popular formada pela primeira turma do Projeto. O processo de escolha foi realizado de forma transparente, com as interessadas defendendo suas comunidades e instituições e, ao final, foi realizado o sorteio que contemplou a Santa Maria da Codipi.

As Defensoras Públicas presentes explicaram a dinâmica do curso de formação de Defensoras Populares. “Esse curso tem sido muito enriquecedor. Trata-se de uma construção de todas as partes envolvidas e o sentimento que temos na Defensoria Pública é de que aprendemos muito com a experiência das mulheres da comunidade”, afirmou Lia Medeiros, que coordena o Núcleo da Mulher da DPE-PI.

Carla Yáscar Belchior também destacou os ganhos alcançados e a necessidade de estabelecimento de um calendário, que possa contemplar as comunidades da melhor forma, a exemplo do que aconteceu no Itararé, onde foi formada a primeira turma. “Esse Projeto é pensado com muito carinho e responsabilidade dentro da Defensoria Pública, por isso mesmo realizamos essa reunião para, da forma mais transparente possível e contando com a participação de todas as interessadas, definirmos o local de realização da próxima turma. Reforço que trata-se de uma experiência enriquecedora, já que a formação não acontece em apenas uma via, mas sim dentro de uma troca de experiências que permite tanto o empoderamento das lideranças femininas,  como agrega  valores ao nosso trabalho como Defensoras Públicas. Sabemos que outras comunidades estão na expectativa para também serem inseridas no Projeto e queremos, dentro das nossas possibilidades, contemplar o maior número de pessoas possível. Dessa forma estaremos proporcionando educação em direitos de forma eficaz e contando com o apoio das Defensoras Populares para a garantia desses direitos”, destacou.

Maria da Paz, presidente da Associação de Moradores da Santa Maria da Codipi III, diz que as perspectivas em relação ao curso são as melhores. “A expectativa é muito boa, porque a comunidade é muito carente de informações, conhecimento e de união entre as mulheres, e iremos conseguir algo com a união, sabemos que as coisas estão muito difíceis para nós mulheres. Estou muito feliz que o curso está indo para lá e acredito que vai ajudar muitas mulheres. Será fácil formar a turma, teremos tempo para divulgar e com certeza teremos o total de 50 mulheres”, afirmou, explicando ainda que a associação conta hoje com 107 associados inscritos formalmente, mas tem um alcance muito maior, abrangendo um total de 400 associados.

O Curso “Defensoras Populares”, desenvolvido dentro do Projeto também denominado “Defensoras Populares”, começou a ser implementado pela DPE-PI em setembro de 2019 com a aula inaugural da primeira turma na Associação de Moradores do Itararé. A formação das novas Defensoras Populares foi concluída em dezembro também de 2019. O objetivo do Projeto é capacitar lideranças comunitárias femininas e demais mulheres interessadas, em direitos humanos,  serviços e equipamentos públicos destinados ao atendimento das mulheres, sistema básico de Justiça, noções de direitos de grupos sociais vulneráveis e empreendedorismo.

Fonte:defensoria.pi.def.br

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário