Por 14 votos a 7, Câmara rejeita requerimento para discutir salários com professores

Pelo segundo dia consecutivo, os professores lotaram o plenário Vereador José Ommati, da Câmara Municipal de Teresina, para impedir a votação do Projeto de Lei que reajusta em 12, 84% o salário da categoria. O problema é que o professores querem o aumento salarial, mas não dividido em duas etapas como está na Mensagem da Prefeitura.

Para tentar resolver a situação, foi apresentado para votação em plenário um requerimento solicitando reunião entre representantes do prefeito Firmino Filho, vereadores e representantes do professores, para discutir o assunto. Porém, a solicitação foi rejeitada por 14 votos a 7, decisão baste criticada pelo líder da oposição na Câmara, vereador do PT, Dudu Borges.

Do lado da situação, o vereador do PSDB, Edson Melo, disse que a rejeição é porque os professores não querem diálogo e estão politizando o movimento.

Diante do impasse, a categoria continua acampada em frente a Câmara Municipal e, segundo o coordenador do SIDSERM, Cinésio Soares, o voto é pela continuação da greve iniciada no dia 4 de  março.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário