Piauí confirma 27 mortes por COVID em 24 horas, duas mortes são de períodos anteriores

De sexta para sábado, foram registrados 882 casos confirmados e 25 mortes por Covid-19, que se somam a mais duas confirmadas acumulados de períodos anteriores e que estavam em investigação epidemiológica, segundo os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde, na noite deste sábado (8).

Doze homens e treze mulheres foram vítimas da Covid-19. Eles eram de Capitão de Campos (52 anos), Jerumenha (50 anos), Manoel Emídio (50 anos), Nazária (59 anos), Parnaíba (62, 73 e 80 anos), Piracuruca (72 anos), Santo Inácio do Piauí (86 anos), Simões (53 anos), Teresina (45 anos) e Uruçuí (87 anos).

As do sexo feminino eram das cidades de Ilha Grande (70 anos), Inhuma (95 anos), Luís Correia (86 anos), Monsenhor Gil (79 anos), Parnaíba (64 e 65 anos), Pedro Segundo (69 e 84 anos), Piripiri (59 e 85 anos), Simplício Mendes (29 anos), Sussuapara (55 anos) e Teresina (38 anos). Seis vítimas não possuíam comorbidades.

Dos óbitos acumulados as duas vítimas eram de Teresina. Uma mulher de 71 anos e um homem com 52 anos de idade.

Dos 882 casos confirmados da doença, 482 são mulheres e 400 são homens, com idades que variam de um a 95 anos.

Os casos confirmados no estado somam 250.222 distribuídos em todos os municípios piauienses. Já os óbitos pelo novo coronavírus chegam a 5.351 e foram registrados em 221 municípios.

O boletim deste dia 8 de maio faz a correção de um óbito registrado na sexta -feira, 7 como de Várzea Grande. Na verdade a vítima é de Várzea Branca. Sendo assim, Várzea Grande permanece sem nenhum óbito registrado. A alteração já foi feita no painel epidemiológico.

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 1.129 ocupados, sendo 695 leitos clínicos, 398 UTIs e 36 em leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 15.388 até o dia sete de maio de 2021.

A Sesapi estima que 243.742 pessoas já estão recuperadas ou seguem em acompanhamento (casos registradas nos últimos 14 dias) que não necessitaram de internação ou evoluíram para morte.

Os óbitos acumulado são os ocorridos em outras datas, antes do fechamento do diagnóstico clínico do paciente e que estavam sob investigação epidemiológica. A investigação dessas mortes é para evitar distorções ou equívocos sobre a patologia que provocou a morte. Apesar de terem ocorrido em em datas anteriores, a confirmação e o registro das mortes entram no sistema apenas no dia que é fechado o diagnóstico.

Da Redação

Jornalista e Radialista.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário