Mãe de Miguel pode ter sido usada como “funcionária fantasma” pela prefeitura de Tamandaré

Vítima duas vezes, o nome de Mirtes pode estar associado a fraude da gestão municipal, que será investigada

A pernambucana Mirtes Renata de Souza, mãe do garoto Miguel Otávio Santana da Silva, que morreu na terça-feira 2 ao cair do 9º andar de um prédio na zona metropolitana de Recife, pode ter sido usada como funcionária fantasma pela prefeitura de Tamandaré. Embora trabalhasse como empregada doméstica para o prefeito da cidade, Sérgio Hacker Corte Real (PSB),  e para a primeira-dama, Sari Gaspar Corte Real, ela aparece  “contratada” como servidora pública da prefeitura de Tamandaré. A prefeitura será investigada.
Segundo informações levantadas pela jornalista Ciara Carvalho, do Jornal do Commercio de Pernambuco, o nome de Mirtes foi incluso como servidora da prefeitura no dia 1 de fevereiro de 2017. Ela está cadastrada como Gerente de Divisão CC6, com lotação em Manutenção das Atividades de Administração. Até o momento, não há menção de desligamento do cargo comissionado.

Fonte: cartacapital.com.br

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário