HUT atinge 100% de ocupação dos leitos de UTI’s Covid-19

O Hospital de Urgência de Teresina atingiu a taxa de 100% de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI’s) destinados a tratamento de pessoas diagnosticadas com Covid-19 na capital. Ao todo, o HUT apresenta 30 leitos de UTI’s nas áreas de tratamento Covid-19.

Os pacientes com coronavírus estão sendo recebidos devidamente regulados de outras unidades de saúde, como Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais de bairro, geralmente em estado grave. Para ampliar a capacidade de atendimento de pacientes com Covid-19, o HUT está em fase de conclusão dos dois primeiros módulos do Hospital de Campanha, construído em terreno anexo ao prédio principal. “No total, essa unidade provisória contará com 60 leitos, sendo que 24 deles têm previsão de entrega no dia 17 de junho”, explica o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins.

Estudiosos garantem que o isolamento social ainda é a solução para redução de casos de coronavírus e a consequente queda na necessidade de internação em leitos de UTIs. “Ontem, apenas 42% dos teresinenses ficaram em casa, bem abaixo do índice de 73% recomendado por órgãos de saúde. É importante que o cidadão entenda a importância de barrar o avanço do Covid, já que não há leitos na rede de saúde para atender a todos os casos graves”, alerta Rodrigo Martins.

Teresina registra morte de 7 pessoas vítimas da Covid-19 em 24horas

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) registrou a morte de 7 pessoas vítimas da Covid-19 em Teresina nas últimas 24 horas. Houve ainda mais dois óbitos ocorridos em dias anteriores e que foram computados no sistema nesta quinta-feira (04). Agora, o município registra o total de 115 mortes e 2.965 casos confirmados da doença.

Do total de 9 óbitos registrados, cinco tinham histórico de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, obesidade e doença neurológica. Essas pessoas possuíam idade compreendida entre 47 e 91 anos e residiam nos bairros São Joaquim, Parque Piauí, Primavera, Lourival Parente, Satélite, Monte Castelo, Cidade Jardim e Santo Antônio.

O presidente da FMS, Manoel de Moura Neto, lamentou os óbitos e reforçou que o isolamento social é necessário para conter a proliferação do vírus na cidade. “Essa situação é lamentável, pois não se tratam de números estatísticos, são pessoas que perderam a vida e deixaram famílias em luto. Estamos fazendo a nossa parte, mas pedimos a colaboração de todos nessa luta”.

A médica infectologista da FMS, Amparo Salmito, alerta que a capital tem taxa de isolamento social abaixo do que as autoridades consideram ideal, que é de 73%. “Todos querem voltar às suas atividades normais, mas é preciso seguir o plano de contingência da Prefeitura, criado por técnicos e estudiosos do tema. Estamos lidando com o risco de perder vidas humanas e é preciso ter cautela”.

Fonte: SEMCOM

Wilma Rocha

Jornalista e Radialista.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário

vinte + seis =