Governo intensifica atendimento de saúde no Sul do estado e aluga leitos de hospitais particulares para tratamento da COVID-19

O Governo do Piauí, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), está elaborando maneiras de fortalecer o sistema de Saúde na região da Chapada das Mangabeiras, no extremo Sul do estado. Além de melhorias estruturais no hospital de Corrente, que farão com que a unidade – que atualmente conta com sete leitos clínicos e dois leitos de estabilização, passe a ter 20 leitos clínicos e cinco de estabilização, a Sesapi também estuda a instalação de um hospital de campanha no município e o apoio à prefeitura para a abertura da UPA 24 horas da cidade, além de buscar pela habilitação da unidade, pelo Ministério da Saúde, para o tratamento de pacientes com a Covid-19.

O secretário de Saúde, Florentino Neto explica que o objetivo do Governo do Estado é garantir melhores condições de atendimento da população em todo o Piauí e que ações no extremo Sul visam melhorar o tempo de resposta para casos que ocorram longe dos grandes centros. “Na manhã desta quinta-feira (21), nós estivemos dialogando com o prefeito de Corrente (Murilo Mascarenhas) e nosso objetivo é aumentar a quantidade de leitos disponíveis no município. Além das obras de melhoria estrutural que estamos realizando no hospital e que farão com que a unidade passe a contar com 20 leitos clínicos e cinco leitos de estabilização, também estamos estudando outras alternativas que possamos tomar para evoluir ainda mais a rede na região”, explicou o gestor.

Florentino afirma que, em diálogos com o governador Wellington Dias, o governo vem estudando alternativas que possam vir a ser adotadas na região para fortalecer ainda mais o atendimento à população. “Temos a alternativa de utilizar um hotel para a instalação de um hospital de campanha e também de, junto com a prefeitura de Corrente, ir em busca do apoio do Ministério da Saúde, na abertura da UPA 24 horas, habilitando a unidade para o atendimento de casos da Covid-19. Essas tratativas vêm como mais uma das medidas que o Governo do Estado está adotando para melhorar a saúde pública em todo o Piauí”, apontou o secretário.

O Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde, vai alugar mais leitos em hospitais particulares do estado para atender pacientes com covid-19. A Sesapi fez o chamamento 01/2020 a fim de contratar leitos da rede particular e até o momento houve uma contratação. Foram alugados 10 leitos de UTI e 10 apartamentos tipo suíte no Hospital Prontomed.
Por conta da necessidade de ampliação da rede, o chamamento público encontra-se aberto e está publicado no Diário Oficial do Estado até preencher o total requisitado que é contratação de 60 leitos de UTIs e 30 leitos de apartamentos.
A medida, anunciada pelo secretário Florentino Neto, foi tomada levando em conta a alta concentração de casos da doença na capital piauiense e também a ocupação crescente dos leitos existentes em toda a rede, que já está no patamar de 49,65%. A operação é feita dentro do que é parametrizado como exigência necessária para a existência de compatibilidade entre os leitos clínicos e de UTI.
“Estamos vendo o esgotamento crescente na rede privada e na rede pública. Por isso mesmo, as nossas equipes estão mobilizadas diuturnamente para ampliar os leitos de UTI e Estabilização para atender as pessoas que necessitem de apoio de suporte avançado”, afirma o gestor. A intenção do Governo do Estado com essa ampliação de leitos é garantir o atendimento a todos os piauienses que necessitarem.
“Já aumentamos o número de leitos públicos no estado, município, federação e o Hospital São Marcos está incluído nessa operação com leitos disponíveis pelo SUS para atendimento de Covi-19”, destaca Florentino. Segundo ele, o aluguel de leitos abre a possibilidade de atender pacientes do Sistema Único de Saúde também na rede privada.
A Secretaria de Saúde está buscando garantir leitos para os piauienses a fim de evitar o colapso no sistema de saúde. “Nós não podemos esperar que as coisas aconteçam. Alugamos os primeiros leitos e estamos em tratativas para alugar ainda mais para que eles fiquem disponíveis e com equipes disponíveis para serem usados por quem precisar, afirma.
O secretário Florentino Neto destaca que ficar em casa neste momento de crescimento da curva de contaminação é importante porque é a maneira mais eficaz para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Fonte: SESAPI

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário