Em julgamento por acusação de estupro, esposa de Daniel Alves confirma que ele estava embriagado

Joana Sanz, esposa de Daniel Alves, confirmou em depoimento à Justiça espanhola que o ex-jogador estava embriegado na noite do suposto estupro de uma mulher em uma boate em Barcelona. Hoje é o segundo dia do julgamento que já ouviu mais de 20 testemunhas, incluindo a jovem que teria sido violentada por Daniel, funcionários da boate e um amigo dele.  O ex-jogador está detido há mais de um ano em um prisão em Barcelona e escutou a todos os depoimentos, com exceção da jovem, que foi ouvida sob uma série de medidas para proteger seu anonimato e evitar um “confronto visual” com o acusado. Ele afirma que a relação que teve com a denunciante foi consentida.

A vítima alega que na noite em que conheceu Daniel Alves, eles estavam na área VIP da boate Sutton. O jogador a convidou para ir a um pequeno lavabo, que ela não conhecia e, de acordo com ela, ele a agrediu e a forçou a ter relações sexuais. Segundo ela, o momento foi “uma situação de angústia e terror”. Uma amiga e uma prima que estavam acompanhando a jovem naquela noite confirmaram diante do tribunal que a jovem saiu do lavabo em estado de choque e com outras sequelas, que ela ainda carrega após os acontecimentos. A vítima chorava “desconsolada” e pediu para que elas fossem embora, pois o jogador “havia feito muito mal” a ela.

Várias testemunhas afirmaram que viram a jovem em “choque”. “A menina estava muito mal, chorava muito”, descreveu um dos gerentes da boate. Na primeira versão de seu depoimento, Daniel Alves negou que conhecia a moça. Posteriormente, ele mudou de versão mais de três vezes e alegou que os dois tiveram relações sexuais consentidas, mas que havia mentido para tentar salvar seu casamento com Joana Sanz. Desde sua prisão em janeiro de 2023, o tribunal espanhol não acatou os recursos apresentados pela defesa.

 

*Com informações da Agence France-Presse

Radialista/Jornalista/Web Designer

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário