CONVID – 19: seis mil estão imunes da doença em Teresina e pacientes de 24 cidades maranhenses se tratam no Piauí

Um total de 135 pacientes com Covid-19 vindos de 24 cidades do Maranhão já foram atendidos em Teresina. Após realização de exames e avaliação médica, 47 foram internados na rede de saúde da capital piauiense e os demais orientados a permaneceram em isolamento domiciliar. Os dados foram divulgados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) nesta quarta-feira (27) e são referentes aos meses de março a maio.

“O nosso receio é de que aumente a procura espontânea de pacientes maranhenses aos serviços de saúde na nossa cidade. Nós sabemos que o SUS tem princípios organizacionais, funcionando com divisão de competências e o atendimento a pacientes com sintomas gripais, por exemplo, deve ser assegurado por cada município aos seus moradores”, afirma o presidente da FMS, Manoel de Moura Neto.

O presidente da FMS alerta ainda que esses pacientes poderiam ser atendidos em suas regiões de origem e, caso necessário, seriam regulados para outros hospitais de sua região ou para Teresina, dependendo da existência de pactuação. “Isso seria benéfico para o paciente, que é atendido com a rapidez que o caso requer, sem sofrer desgaste com o deslocamento, e igualmente benéfico à rede de saúde”, completa.

Até a presente data, o estado do Maranhão já registra 22.786 casos de Covid-19 e 784 óbitos decorrentes de complicações da doença. Já o estado do Piauí tem 3.966 casos confirmados e 134 óbitos. Em Teresina, são 1.890 casos confirmados e foram computados 66 óbitos de residentes da capital. Os dados de Teresina são atualizados diariamente pela equipe do Comitê de Operações Emergenciais em Saúde Pública (COE) da FMS.

Os usuários atendidos em Teresina vieram de São Luís, Codó, Caxias, Pedreiras, Anapurus, Bacabal, Balsas, Parnarama, Presidente Dutra, São Mateus do Maranhão, Alto Alegre do Maranhão, Barra do Corda, Buriti, Coelho Neto, Dom Pedro, Lago da Pedra, Lima Campos, Matões do Norte, Santa Inês, São Bernardo, São Domingos do Maranhão, São João dos Patos, Timbiras e Timon.

Pesquisa identifica quase 6 mil pessoas imunes à Covid-19 em Teresina

A sexta etapa da pesquisa de investigação sorológica em Teresina mostrou que 49.998 pessoas já foram infectadas pela Covid-19 na capital. Desse total, 19.833 estão no estado ativo da doença, portanto, podem transmitir o vírus; outras 23.611 estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade; e 5.667 pessoas já estão imunes à doença. A sondagem revelou ainda que a quantidade de positivados é 40 vezes maior que os 1.260 casos confirmados oficialmente no domingo anterior à pesquisa.

Segundo o prefeito Firmino Filho, desde a quarta etapa da sondagem estão sendo realizados testes que distinguem os dois tipos de anticorpos para o vírus: o IgM e o IgG. “Os anticorpos IgM indicam infecção na fase ativa, recente. Já os anticorpos IgG também são uma resposta ao vírus, porém atuam na fase mais tardia da infecção, indicando já uma possível imunidade instalada contra o vírus. Inicialmente, eram realizados testes rápidos que detectavam os anticorpos totais das pessoas. Mas, passamos a realizar também os testes que fazem essa diferenciação das pessoas que estão infectantes das que foram infectadas há mais tempo, não transmitem mais o vírus e já tem uma defesa instalada. E esses dados são muito importantes e nos dão mais clareza sobre a situação do vírus na cidade e para a nossa tomada de decisões no enfrentamento à doença”, explicou.

Por meio da pesquisa, realizada em parceria com Instituo Opinar, é possível afirmar também que o vírus já está em toda a cidade, sem diferenciação de regiões. Nesta etapa, o número maior de casos está na zona Norte, com 35%. A zona Sul aparece em seguida, com 28%. A zona Sudeste permanece com 23% dos positivados e a zona Leste segue com o menor percentual, de 15%. “Isso mostra a evolução da doença, que iniciou pela zona Leste, depois seguiu para a Sudeste, e ficou por um tempo com a zona Sul apresentando os maiores índices de positivados. E agora, cresce bastante o número de casos pela zona Norte”, informou.

Quanto à faixa etária, a pesquisa mostra que já não há tanta diferença de contaminação entre as idades, com percentuais variando entre 15% e 18%. O maior percentual está entre as idades de 15 a 24 anos e 35 a 44 anos, sendo de 18%. Em seguida aparecem as pessoas com idade entre 25 e 34 anos, representando 17 % dos casos. Na faixa de idade entre 45 e 54 anos o índice de positivados está em 16%. Já o número de casos entre crianças e adolescentes com idade entre 0 e 14 anos está em 11%.

“A população maior de 70 anos corresponde a 3% da nossa população, e o número de positivados chega a 5%. Isso é preocupante. A vida dos nossos idosos continua sendo colocada em risco”, lembra Firmino.

Sobre a taxa de propagação do novo Coronavírus em Teresina, esta etapa da pesquisa apresentou crescimento e está em 1,89. “Em relação à taxa de reprodução do vírus, o conceito denominado de R0 (R-zero), que corresponde ao número médio de contágio causado por cada pessoa, houve crescimento considerável. A média mundial varia entre 2% e 2,5%, segundo a Organização Mundial de Saúde, e o ideal, que nos garante uma segurança para a flexibilização na quarentena, é que esta taxa esteja menor do que 1. Portanto, precisamos perseverar, fortalecer as medidas preventivas e volto a afirmar que a nossa grande arma continua sendo o isolamento social”, destacou o prefeito Firmino Filho.

A pesquisa leva em consideração uma população estimada em 864.845 habitantes em Teresina. Os números da sondagem são baseados pelos índices positivos dos testes para Covid-19, e são levadas em consideração comorbidades ou doenças prévias, além do quadro atual de saúde do entrevistado. Também são apresentadas as características demográficas coletadas. A última etapa da sondagem aconteceu entre os dias 22 e 24 de maio.

68% dos teresinenses com Covid-19 têm comorbidades, diz pesquisa

Dados da sexta etapa da pesquisa de investigação sorológica, encomendada pela Prefeitura de Teresina e realizada entre os dias 22 a 24 de maio, apontam que 68% dos teresinenses que testaram positivo para Covid-19 têm algum tipo de comorbidade. As doenças crônicas mais recorrentes são hipertensão com 25%, obesidade com 14% e diabetes, que aparece em 12% dos entrevistados.

Outras comorbidades registradas entre os pacientes foram problemas cardíacos (5%), enfisema pulmonar (2%), asma (3%) e lúpus (1%). Além disso, 3% dos testados positivos eram gestantes e 3% já tiveram AVC. Os números são preocupantes porque estes grupos são mais suscetíveis a apresentar sintomas graves da Covid-19, podendo evoluir para complicações ou até mesmo óbito.

“É necessário redobrar os cuidados com a saúde, principalmente aquelas pessoas que fazem parte do grupo de risco. A nossa recomendação e das autoridades de saúde é para seguir as normas de higiene e de distanciamento social a fim de evitar a disseminação desse vírus”, alerta o infectologista Kelsen Eulálio, da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

O estudo destacou ainda que os sintomas mais frequentes entre as pessoas testadas positivas para o novo Coronavírus são a dor de cabeça e a ausência de sensação de gosto e cheiro, que aconteceu em 55% e 56% dos casos, respectivamente.

Além disso, 51% dos testados positivos apresentaram febre, 48% tiverem dor no corpo e 43% tiveram coriza. Dor de garganta foi um sintoma sentido por 37% das pessoas infectadas com o vírus nessa fase da pesquisa, assim como a tosse, que alcançou o mesmo percentual; e 35% declararam ter sentido dor nas juntas. A falta de ar, que representa um sintoma grave da Covid-19, foi sentida por 20% desse público.

Iniciada em 16 de abril, a pesquisa sorológica tem por objetivo conhecer a situação da pandemia do Coronavírus na capital. “Cada etapa da pesquisa nos permite traçar o retrato da pandemia de Covid-19 em Teresina e desenvolver as políticas públicas mais efetivas para combater o novo Coronavírus. O nosso objetivo é aperfeiçoar cada vez mais o sistema e beneficiar a comunidade”, ressalta Manoel de Moura Neto, presidente da FMS.

Ele orienta que as pessoas com sintomas de Covid-19 devem procurar uma das 19 Unidades Básicas de Saúde dedicadas exclusivamente ao atendimento de síndromes gripais. Há ainda os hospitais de bairro e as três UPAs para atender casos de urgência. Em caso de dúvidas, elas podem ligar para o Alô Saúde Teresina, por meio do número 0800 291 0084, em que podem receber atendimento de médicos da Estratégia de Saúde da Família.

Fonte: SEMCOM

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário