Cendfol amplia investimentos e aumenta número de vagas em comunidades terapêuticas

Para 2024 está prevista a prevenção primária com o programa “Segundo Tempo”, que será feito em parceria com o Ministério dos Esportes.

Mais de 2 mil jovens e adultos foram alcançados pelas ações da Coordenadoria Estadual de Enfrentamento às Drogas e Fomento ao Lazer (Cendfol) por meio do Programa Se Liga e de ramificações do projeto “Viver Sem Limites”.

Para 2024, segundo o coordenador Tiago Vasconcelos, está prevista a prevenção primária com o programa “Segundo Tempo”, que será feito em parceria com o Ministério dos Esportes.

“Fechamos o ano de 2023 com números relevantes, mas conscientes que o trabalho deve seguir e ser ainda mais ampliado nos próximos anos dada a importância do tema. No eixo prevenção, o trabalho foi dividido em prevenção primária, secundária e terciária”, disse Tiago Vasconcelos.

Na prevenção secundária, a Cendfol realizou blitzes educativas para a população em geral e na prevenção terciária, por meio do programa “Acolher Tá On”, distribuiu kits higiênicos e prestou orientação sobre redução de danos junto à população em situação de rua.

“A gente acredita que a prevenção é a melhor solução, pois assim jovens e adultos já evitam o primeiro contato com qualquer substância nociva à sua saúde física, mental e social. Dessa forma, nada mais natural que ter a prevenção como um dos principais tópicos do nosso trabalho aqui na Coordenadoria”, afirma Tiago Vasconcelos, coordenador da Cendfol.

cendfol.PNG

Piauí amplia número de vagas em comunidades terapêuticas

Lançado em dezembro de 2023, o projeto “Viver Sem Depender” tem como objetivos o aumento do número de vagas em casas de acolhimento e também o fomento a ações preventivas no combate às drogas.

Com o projeto “Viver Sem Depender” foi ampliado de 8 para 12 o número de Organizações da Sociedade Civil empenhadas na prevenção às drogas, também aumentou de 942 para 1000 a disponibilidade de vagas em Comunidades Terapêuticas (CTAs) e ainda houve o aumento repasse financeiro para o tratamento desses acolhidos. “Além disso, estamos criando o Sistema de Controle e Acolhimento de Reinserção, o Sicar, em parceria com a Empresa de Tecnologia e Informação do Piauí (Etipi)”, informa o coordenador.

Atualmente, segundo dados da Coordenadoria, 60 mil piauienses apresentam dependência química e necessitam de atendimento e atenção imediatos.

“Parece pequeno, mas se você comparar em números absolutos com esse aumento para mil vagas financiadas de acolhimento nessas comunidades terapêuticas, o estado do Piauí passa a ser o primeiro lugar no Brasil em números proporcionais, o primeiro em números absolutos e o segundo em números proporcionais. Além de que o estado também vai aumentar o valor repassado para essas comunidades, outro sentido diante do custo. Antes, era R$ 1 mil por pessoa e a gente está aumentando para R$ 1.3 mil por pessoa”, explica Vasconcelos.

cendfol2.PNG

Programa Se Liga

O “Se Liga – Prevenção que Transforma, Futuro que Inspira” foi lançado em junho deste ano, no Colégio Liceu Piauiense, e objetiva levar às escolas, capacitações, palestras, workshop e material didático sobre a prevenção às drogas e o mal que elas podem causar, orientando os alunos na escolha de uma vida saudável.

”A maior parte dos dependentes, reunidos em quase 60 mil, são jovens entre dezoito e trinta anos. Então, baseado nisso, na discussão que tivemos com o governador, entendemos que tínhamos que trabalhar a infância e a adolescência num trabalho de prevenção. Teremos dois eixos onde iremos trabalhar a prevenção, orientação, o desenvolvimento socioemocional das crianças e adolescentes, dos vínculos familiares de 8 a 18 anos”, pontua Tiago Vasconcelos.

Segundo o coordenador, o programa é orientado pelo Plano Nacional de Políticas sobre Drogas (2022) que define a Prevenção às drogas em três níveis: Primário ou Universal, Secundário e Terciário. Tratando-se do uso/abuso de crack, álcool e outras drogas, muitos e variados são os fatores que causam os problemas. Desta forma, pretende-se organizar ações conjuntas desenvolvidas pelas diversas políticas públicas presentes no Estado, dirigidas para esse público-alvo.

Reinserção e qualificação profissional

A reinserção foi o segundo eixo de trabalho da Cendfol em 2023. E isso ocorreu por meio do “Programa Recomeçar” que, através do esporte e da qualificação profissional, promove a reinserção social tanto dos usuários de drogas ilícitas, como também dos seus familiares. Cursos como de culinária, marcenaria e agente de portaria são ofertados em parceria com o “Sistema S”, que engloba instituições como Sistema Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac). Além dos cursos, esporte e teatro também estão contemplados no trabalho de reinserção por meio de projetos como o “Vamos ao Teatro” e a “Piauí Profighter”.

E além de projetos, a Cendfol também apostou em outras parcerias para executar mais ações preventivas e de combate às drogas. Em parceria com a Secretaria da Segurança Pública (SSP), foi executado o programa “Drogas Não São Brincadeira ”, por meio das blitz educativas. Já com a parceria do Ministério Público do Piauí (MPPI), foi realizado o projeto “Juntos Renovando Vidas”. E ainda com o Tribunal de Justiça do (TJ-PI) houve a execução do projeto “Ressocializar Para Não Prender”.

“O balanço que fica é que o nosso trabalho é muito importante e cada vez mais necessário e que queremos seguir fazendo muito mais, promovendo prevenção, reabilitação e ressocialização das pessoas e que isso só é possível e fica mais fácil com a cooperação de todos os setores da sociedade. O balanço do ano é positivo, mas podemos e vamos fazer mais, pois a prevenção nunca é demais”, afirma Tiago Vasconcelos.

Cendfol traça projetos para 2024

Para 2024, a proposta é continuar e expandir o trabalho já realizado em parceria com múltiplos setores da sociedade em todo o Piauí. Já está confirmada, por exemplo, a parceria com o Ministério dos Esportes para a implementação do projeto “Segundo Tempo” que será mais uma ferramenta no enfrentamento às drogas já no ano que vem.

O projeto, que será implementado no Parque Potycabana, abrangerá, aproximadamente, 200 crianças na modalidade de vôlei e cerca de 150 crianças no futebol. Essa iniciativa não apenas oferecerá oportunidades esportivas, mas também servirá como um veículo para a promoção de valores sociais, respeito às diferenças e inclusão.

Fonte: pi.gov.br

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário