Advogada Geórgia Nunes diz que é preciso dividir os papéis domésticos para que mulheres possam se realizar profissionalmente

A advogada especialista em Direito Eleitoral, Direito Administrativo e Direito Constitucional, Geórgia Nunes, elogiou o trabalho realizado pelo Tribunal de Justiça do Piauí no combate à violência doméstica. Ela defende mais participação das mulheres nos cargos públicos, mas lembra que, para que isso aconteça, é preciso dividir os papéis dentro de casa entre homens e mulheres. Geórgia Nunes citou o caso da primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, que anunciou no dia 19 de janeiro a desistência da reeleição. Acompanhe na entrevista concedida ao davidcaldas.com durante a solenidade de abertura…

LEIA MAIS

HGV lança projeto digital de valorização da mulher

A iniciativa consiste em produzir e divulgar uma série de conteúdos, no formato de vídeos e textos, sobre o cotidiano de mulheres que trabalham no hospital. Foi lançada, nesta segunda-feira (30), a série Mulheres Empoderadas do Hospital Getúlio Vargas (HGV). O objetivo é valorizar as profissionais que trabalham na unidade de saúde. O projeto consiste em produzir e divulgar uma série de conteúdos, no formato de vídeos e textos, sobre o cotidiano de mulheres que trabalham no hospital. O HGV possui 2.500 funcionários, sendo 1.700 do sexo feminino. Pelo segundo…

LEIA MAIS

Janja cita Evita e Michelle Obama e promete na gestão Lula combater violência contra mulher e racismo

Futura primeira-dama disse ao Fantástico ver machismo em críticas a ela e pregou governo que resgate solidariedade SÃO PAULO – A socióloga Rosângela da Silva, a Janja, afirmou que enxergou machismo nas críticas que recebeu ao longo da campanha do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e que pretende ressignificar o papel de primeira-dama. “Houve machismo, porque talvez a figura do Lula por si só se bastasse, e agora tem uma mulher do lado dele, não que complemente, mas que soma com ele em algumas coisas. Hoje acho importante olhar para ele…

LEIA MAIS

Mulheres encaram mais desafios que homens ao se movimentar pelas cidades

Insegurança e falta de infraestrutura nos deslocamentos afeta mais gênero feminino, segundo estudos SÃO PAULO – Ruazinhas escuras, calçadas estreitas —quando existentes—, transporte demorado e criminosos à espreita. O cenário pode até ser o mesmo para todos, mas a forma como homens e mulheres vivenciam o dia a dia ao sair de casa para trabalhar, estudar, cuidar das demais coisas da vida ou se divertir são muito diferentes. Tudo porque homens e mulheres se deslocam de formas distintas pelas cidades e isso traz, para elas, mais dificuldades do que para eles. Até por…

LEIA MAIS