Câmara mantém veto e reajuste dos professores fica 5%, categoria queria 20,08%

Sob o olhar dos professores e professoras da rede pública municipal, que lotaram o Plenário Vereador José Ommati, vereadores e vereadoras de Teresina votaram pela permanência do Veto do prefeito Doutor Pessoa ao aumento salarial de 20,8% para a categoria.

Com a decisão de 12 votos pela permanência e 09 contra, o projeto de reajuste salarial em 5% volta para a sanção do prefeito. Um dos vereadores contra o veto foi Deolindo Moura (PT). O parlamentar considera a permanência do veto ato irresponsável.

 

 

Para o líder do prefeito Antonio José Lira (AVANTE), os professores e professoras saíram vitoriosos da votação, porque o . reajuste de 20,8% não é permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal e seria judicializado.

 

 

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Sinésio Soares, diz que houve manobra dos parlamentares para não derrubada do veto. Ele confirma a continuação da greve dos servidores da Educação.

 

 

Na condição de presidente, Enzo Samuel (PDT) não pode votar, mas ele destaca que o reajuste salarial dos professores em 5% permite, também, o reajuste salarial de outras categorias.

 

 

Depois da votação e aprovação do veto do prefeito, houve outra sessão para a votação, em segundo turno, do reajuste salarial das outras categorias, como da saúde. Em seguida, o Plenário Vereador José Ommati foi novamente ocupado pelos professores e professoras que pretendiam acampar no local. Mas a segurança da Câmara Municipal desligou os sistemas de refrigeração e de iluminação elétrica para provocar a saída dos educadores.

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário