Brasil retira candidatura à sede da Copa do Mundo Feminina FIFA 2023 e anuncia novas medidas de apoio aos clubes

Após minuciosa avaliação, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu retirar a candidatura do Brasil à sede da Copa do Mundo Feminina FIFA 2023. Uma combinação de fatores levou a esta decisão, tomada com grande responsabilidade.

Análise da FIFA sobre a documentação da candidatura brasileira considerou que não foram apresentadas as garantias do Governo Federal e documentos de terceiras partes, públicas e privadas, envolvidas na realização do evento.

A CBF compreende a necessidade da FIFA de obter tais garantias e sabe que elas fazem parte do protocolo padrão da entidade internacional, sendo elemento fundamental para conferir a segurança necessária para efetiva realização de eventos deste porte.

O Governo Federal, por sua vez, elaborou para a FIFA uma carta de apoio institucional na qual garantiu que o país está absolutamente apto a receber o evento do ponto de vista estrutural, como já o fez em situações anteriores. No entanto, ressaltou que, por conta do cenário de austeridade econômica e fiscal, fomentado pelos impactos da pandemia da Covid-19, não seria recomendável, neste momento, a assinatura das garantias solicitadas pela FIFA.

Diante do momento excepcional vivido pelo país e pelo mundo, a CBF compreende a posição de cautela do Governo brasileiro, e de outros parceiros públicos e privados, que os impediu de formalizar os compromissos no prazo ou na forma exigidos.

Soma-se a isso a nossa percepção, construída durante o processo, de que o acúmulo de eventos esportivos de grande porte realizados em curto intervalo de tempo no Brasil – Copa das Confederações 2013, Copa do Mundo FIFA 2014, Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, CONMEBOL Copa América 2019 e Copa do Mundo FIFA Sub-17 2019 – poderia não favorecer a candidatura na votação do próximo dia 25 de junho, apesar de serem provas incontestáveis de capacidade de entrega.

Sendo assim, a CBF decidiu retirar a candidatura brasileira e apoiar a Colômbia na disputa para a sede da Copa do Mundo Feminina FIFA 2023. Desta forma, a CONMEBOL se apresenta com uma candidatura única, aumentando as chances sul-americanas na votação, além de reforçar a unidade que marca a atual gestão da entidade.

A CBF agradece a todas e todos que participaram da candidatura brasileira e reafirma seu compromisso com o desenvolvimento do futebol feminino no país. Um compromisso que vem sendo demonstrado tanto no fortalecimento das competições entre clubes, quanto das Seleções Nacionais. Seguimos com o objetivo de realizar uma edição da Copa do Mundo Feminina FIFA em gramados brasileiros e a trabalhar para que isso aconteça assim que possível.

Participantes das Séries A e B do Brasileirão terão linha de crédito imediata de até R$ 115 milhões com a entidade.

Série A

A CBF vai disponibilizar aos Clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro uma linha de crédito total de até R$ 100 milhões de reais, a juro zero. Os recursos serão concedidos tendo como garantia os valores a receber pelos clubes referentes ao contratos de direitos de transmissão das competições que disputam e prêmios por desempenho nesses campeonatos. Os valores sairão integralmente do caixa da CBF, de forma imediata.

O adiantamento é uma forma de compensar parte da perda de arrecadação que os clubes tiveram com a redução dos valores pagos por direitos de transmissão no trimestre que vai de abril a junho, além de outras fontes de receita, como bilheteria, programa de sócio de torcedor e patrocínios.

“A CBF sabe que os clubes são a base de toda a indústria do futebol e que eles têm sofrido grandes impactos com a paralisação das competições provocada pela epidemia de Covid-19”, diz o presidente da entidade, Rogério Caboclo. “Por isso, temos procurado todas as formas de apoiar os clubes nesse momento difícil”, completa. “Não basta que voltem as competições. Precisamos de clubes capazes de retornar a elas de forma competente”, conclui Caboclo.

SÉRIE B

Os clubes da Série B receberão um adiantamento total de cerca de R$ 15 milhões, sobre os valores que tem a receber sobre o contrato de direitos de transmissão com o Grupo Globo. Devido ao adiamento do início da competição por conta da epidemia, a emissora fechou com os clubes e a CBF um acordo que redesenhou o calendário de pagamentos, com redução das parcelas previstas para os meses de abril, maio e junho. Com o adiantamento feito agora, a CBF repõe, com recursos do seu caixa, os valores previstos originalmente em contrato. Desta forma, ajuda os clubes a manterem seus compromissos. Assim como na Série A, este adiantamento será feito a juro zero.

A CBF já havia feito outro adiantamento de pagamento de direitos de transmissão aos clubes da Série B, no valor de R$ 11,4 milhões. Assim, os valores antecipados aos participantes da competição signatários do contrato já chegam a R$ 26,4 milhões de reais.

MEDIDAS ANTERIORES

A CBF destinou em abril R$ 19 milhões de reais a título de doação para os clubes que disputam as Séries C e D do Campeonato Brasileiro Masculino e as Séries A1 e A2 do Campeonato Brasileiro Feminino. A ação beneficiou 140 clubes.

Além disso, a CBF destinou R$ 3,2 milhões para ajudar na manutenção das federações estaduais, também a fundo perdido. E adiantou o pagamento de duas taxas de arbitragem aos árbitros do quadro nacional, num valor total de R$ 1,8 milhões. E deu isenção por tempo indeterminado aos clubes de todas as divisões de taxas de registro e transferência de atletas, medida que deve permitir aos clubes uma economia de R$ 4 milhões nos primeiros três meses de aplicação.

Somadas as linhas de crédito, adiantamentos, doações e isenções, o apoio da CBF à comunidade do futebol brasileiro já chegou a quase R$ 155 milhões de reais.

A par das medidas emergenciais, a CBF continua a trabalhar para realizar as competições previstas para 2020. “Com união e responsabilidade, venceremos essa crise e nosso futebol sairá ainda mais forte dela”, prevê Rogério Caboclo. “Tenho a convicção de que as competições nacionais serão concluídas com absoluto sucesso”.

Fonte: cbf.com.br

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário