Agricultores atendidos pelo Projeto Viva o Semiárido produzem silagem para o período de seca

Os produtores da Associação de Desenvolvimento Comunitário dos Pequenos Produtores Rurais de Mateus, localizado no município de Jacobina do Piauí, apoiados pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), por meio do Projeto Viva o Semiárido (PVSA), estão produzindo silagem para o período da seca.

No total foram armazenadas mais de 100 toneladas de silagem feita de milho sorgo. A Associação recebeu investimentos no valor de R$ 188.568,02 mil (cento e oitenta e oito mil, quinhentos e sessenta e oito reais e dois centavos), beneficiando 27 famílias de agricultores e agricultoras.

O superintendente de Desenvolvimento Rural e coordenador do projeto no Piauí, Francisco das Chagas Ribeiro, destaca que um dos grandes problemas na ovinocaprinocultura do Estado é a diferença de peso e a qualidade dos animais, quando se compara o período chuvoso e que tem boa quantidade de pasto e o período seco. O coordenador destaca que  que nesse sentido, o Projeto Viva o Semiárido tem incentivado a adoção de medidas de conservação de pastagem para eliminar esse problema.

“O projeto vem incentivando o armazenamento de silagem para resolver essa deficiência e um desses casos é da Associação de Mateus, localizada no município de Jacobina. Este ano todos os cooperados estão preparando silagem, e, portanto, terão alimentação para os ovinos durante o ano inteiro, o que permitiu que eles fizessem acordos de comercialização durante o todo este período, tendo animais com a mesma qualidade. Ficamos bastante satisfeitos com os resultados obtidos em todo o território do Vale do Itaim e particularmente na comunidade Mateus”,  ressaltou o gestor.

A associação foi contemplada com a construção de aprisco rústico, aquisição de ensiladeira com motor elétrico, balança móvel, reprodutor ovino dorper, matrizes ovinas da raça Santa Inês, pistola veterinária, castrador burdizzo pra ovinos e caprinos, um kit PC informática, pluviômetro e uma base para caixa de água.

Para Janderson Ferreira Silva, agricultor e presidente da associação, o projeto trouxe muitas mudanças e benefícios para sua comunidade. “Foi muito importante para nossa comunidade, pois através do Projeto Viva o Semiárido, passamos a enxergar que a nossa agricultura familiar tem que ser inovada a cada dia. Por meio do projeto, conseguimos equipamentos para nossa associação, plantio de palmas irrigadas, e além de disso, hoje podemos fazer a ração para nossos animais. Nós só temos a agradecer por esse projeto ter chegado até nossa associação”.

Uma das atividades apoiadas pelo projeto é a ovinocultura,  através da modernização das instalações, aquisição de equipamentos, melhoramento genético do rebanho e fortalecimento do potencial forrageiro. O objetivo é estruturar as unidades de produção com investimentos que favorecem e estimulem o desenvolvimento da atividade, melhorando a renda e a qualidade de vida das famílias envolvidas.

Aderaldo Aquino, coordenador do projeto no território Chapada Vale do Rio Itaim, fez uma avaliação dos impactos do projeto na associação. “Além do impacto financeiro tem também o impacto social, pois após a chegada do projeto, a associação começou a se reunir mais e a envolver os jovens da comunidade, além de tudo isso, tem a produção e armazenamento de forragem, que será mais um dos benefícios, pois eles não vão mais precisar comprar ração e, conseqüentemente, irá trazer mais lucro durante a venda”, destacou Aderaldo.

O Projeto Viva o Semiárido(PVSA), executado pela Secretaria da Agricultura Familiar, é realizado por meio de parceria do Governo do  Estado do Piauí com o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA), e tem como objetivo  contribuir para a redução da pobreza e dos níveis de extrema pobreza da população rural do semiárido piauiense por meio do incremento das atividades produtivas predominantes e do fortalecimento organizacional dos produtores rurais.

Fonte: sdr.pi.gov.br

LEIA TAMBÉM

Deixe um Comentário