Mulheres com mais de 50 anos enfrentam preconceitos por se divorciarem ou por voltarem a estudar

Para antropóloga, discriminação pode estar atrelada à chegada da menopausa e à perda da capacidade de gerar filhos SÃO PAULO Seja na vida profissional, afetiva ou educacional, mulheres com mais de 50 anos relatam dificuldades em meio a tentativas de redescoberta e fuga da vida convencional estabilizada financeiramente, com filhos e um casamento. Professora na rede particular de ensino, Claudia Vendramini, 54, foi casada por 23 anos, mas aos 49 decidiu tomar uma decisão que queria há tempos: se divorciar. “Era uma coisa que sempre quis. Mas esperei minhas duas…

LEIA MAIS